25/08/2008

Oh amor, está uma noite tão bonita... Vem sentar-te a meu lado, dá-me a mão querido.

A minha mulher é uma enorme consumidora de romances, principalmente daquele gajo não-sei-quê-Sparks. Chora sempre que vê filmes sobre maridos que morrem na guerra ou esposas que ficam com cancro e deixam os filhos orfãos. Para ela toda a gente tem de amar, toda a gente tem de ter família, bla bla bla. Eu sei que ela é lamechas demais às vezes, mas que se lhe há-de fazer? É minha mulher. A minha mulher.
Acho que tenho muita sorte no que toca à minha esposa: boa dona de casa, boa mãe, boa mulher. Todas as sextas à noite, quando os miúdos vão sair, ela prepara o ninho do amor e... Bom, não nos prolonguemos.
Dou graças a Deus por não ser divorciado, a ideia de passar pela crise de meia-idade com a companhia do James não me agrada minimamente.

Amor, despacha-te, estou a ficar com frio.