12/09/2008

Quando acabei o curso, decidi começar a trabalhar em qualquer coisa para poder pagar um quarto no centro da cidade, com vista para o parque. Desde que fiz 18 anos e aprendi a amar a vida com o coração, os olhos e os braços, passei a admirar o céu e as árvores. Tenho centenas de fotografias do céu tiradas em sítios por onde passei, há pessoas que tiram fotos em frente às casas, nas ruas mas eu fujo desses sítios. Sinto que há algo muito mais puro quando estás no meio do verde e do azul, ao invés das paredes de betão e de tinta branca. O sol é primordial na nossa existência, por que havemos nós de nos esconder atrás dos toldos das esplanadas?

Encontrei um quarto de paredes ligeiramente amareladas que com a luz do sol ficam um pouco mais claras, é uma sensação muito boa deitar-me no chão do soalho e olhar pela janela, para o céu. Deveria ter uma fotografia para vos mostrar, para que também vocês pudessem sentir isto. Peço-vos desculpa mas agora que penso, não, não quero pedir-vos desculpas. Quero que se levantem amanhã de manhã e abram as janelas, fechem os olhos e sintam a luz a passar-vos pelas pálpebras, quero que sintam paz e quero que nunca, nunca se esqueçam dessa sensação.