08/10/2008

A Manuela da minha secção não se calou a manhã inteira com uma história qualquer sobre a noite passada dela. Ao que parece, ela foi sair à noite e não sei quê, etc etc, acabou na cama com um gajo que não conhecia de lado nenhum. Pelos vistos, aquilo foi "a melhor noite de sexo de sempre". A Manuela, que é da aldeia, fazia questão de dizer ratinha de duas em duas frases, eu estava a ficar passada com a treta dela, ainda para mais estava sempre a espremer as mamas como se estivesse a falar para uma plateia de gajos. Apetecia-me asfixia-la, certamente julgava que todas nós éramos virgens e que nunca tínhamos um raio de uma piça. Sim, especialmente a parte da piça, porque ela falou p'raí 10 minutos sobre a pila do gajo, só lhe faltou dizer o número de pentelhos do palerma que foi para a cama com ela.
Pus-me a pensar que ela devia ter vindo a viagem toda de carro a pensar nas coisas que nos ia contar... Comecei a imagina-la a masturbar-se no meio da auto-estrada, debaixo do volante para ninguém ver, quase lhe perguntei se estava molhadita ao contar-nos tudo aquilo. Apeteceu-me oferecer-lhe um agrafador para que ela o metesse na cona. Apeteceu-me espetar-lhe clips nos mamilos. Apeteceu-me meter-lhe lapís na boca a gritar-lhe Deep throat! Mas simplesmente perguntei-lhe Vieste-te?