18/10/2008

O João foi levar-me ao comboio, na quinta-feira ao fim da tarde. Estávamos cansados das aulas e era um dia mesmo frio, por isso ele foi mesmo querido e veio para o comboio comigo para me aquecer as mãos. Enquanto olhávamos o fundo da carruagem, ele chegou-se ao meu ouvido e sussurrou: "Joana, se este comboio tivesse casa-de-banho, fornicaríamos como coelhos." Olhei para ele, corri-lhe a língua pelos lábios e disse-lhe "Vamos para o pendular."
E fomos.