11/05/2009

Ermelinda. Chamaram-lhe em tempos "tetas douradas". Eram tetas que andavam de um lado para o outro dentro dos tops justos que usava, carnudas e de mamilos espetados que olhavam toda a gente nos olhos dizendo "Vem, espeta aqui o dedinho." Muitos obedeciam e as tetas da Ermelinda eram diariamente acariciadas por todo o tipo de homens, de todas as formas e, fogo, a Ermelinda adorava!
Anos passaram e as tetas, que em tempos foram tesas, murcharam. Agora não andavam de um lado para o outro dentro dos seus tops, balançavam, isso é que era, e já não havia quem as acariciasse, a não ser Joaquim, o trolha, que sempre pedia à Ermelinda "Oh fofa, só uma espanholada."